Presença da engenharia no agronegócio

Formação voltada para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável

O engenheiro agrícola é um profissional qualificado para levar ao campo soluções práticas e inovadoras que contribuem com o avanço tecnológico dos sistemas de produção agrícola e agroindustriais, respeitando a preservação do meio ambiente e buscando o desenvolvimento sustentável. Entre esses sistemas estão incluídos os de produção, armazenamento, transporte, processamento e comercialização de produtos agrícolas em todas as fases da cadeia produtiva do agronegócio. Esse profissional é habilitado para: planejar métodos de armazenagem e de conservação de produtos agrícolas, elaborando projetos de unidades armazenadoras e sistemas de refrigeração; projetar e construir obras e estruturas relacionadas a sistemas de produção animal e vegetal, dentro dos princípios de engenharia de conforto; planejar o uso sustentável dos recursos naturais em projetos de açudes, barragens, obras hidráulicas, sistemas de irrigação e drenagem e de tratamento de água e esgoto para pequenas comunidades; elaborar, modificar e projetar máquinas, equipamentos e implementos agrícolas, utilizando recursos assistidos por computador; contribuir, dentro do conceito de sustentabilidade, para a destinação adequada de resíduos gerados nas atividades agropecuárias e agroindustriais; atuar na administração e gerenciamento de empreendimentos agrícolas, baseado em conceitos de agricultura de precisão e visando otimizar o uso dos insumos e resíduos agrícolas e a racionalizar o uso de energia; trabalhar em pesquisa nos setores agropecuário e agroindustrial, gerando e desenvolvendo sistemas de produção e componentes tecnológicos; atuar na gestão de recursos naturais, na perspectiva da sustentabilidade. A importância da presença do engenheiro agrícola no agronegócio fica evidenciada no quadro atual de produção agrícola mundial e brasileiro. O mercado globalizado aumenta a demanda por alimentos, fibras e biomassa, produzidos de forma segura e que levem em conta, além dos custos, questões sociais e ambientais. O aumento da produtividade exige a introdução de novas tecnologias, mais apropriadas para cada sistema produtivo. As culturas e seus subprodutos voltados para produção de energia (biocombustíveis) ganham espaço na matriz energética mundial e requerem o aprimoramento e desenvolvimento das tecnologias de produção, manuseio e uso. O agronegócio brasileiro conquista espaços no mercado mundial de carne, soja, açúcar, álcool e mostra excelente potencial, ainda pouco explorado, para frutas, hortaliças e flores, entre tantos outros produtos.

Formação dos engenheiros

Os estudantes da Unicamp são capacitados e motivados para atuar na área de engenharia com base técnica diversificada e com preocupação socioeconômica e ambiental. O currículo de Engenharia Agrícola combina disciplinas de diferentes ciências e engenharias em um mesmo curso. O futuro engenheiro agrícola recebe uma formação que tem como base as ciências exatas, – fundamentalmente os recursos da física e da matemática, como nas engenharias tradicionais, – aliados às disciplinas com ênfase nas áreas social, econômica e ambiental. Portanto é fundamental que, ao optar por Engenharia Agrícola, o interessado esteja preparado para ter uma formação plena como engenheiro. Isto significa estudar, nos dois primeiros anos, disciplinas comuns a outros cursos de engenharia, como física, matemática e química, além de disciplinas de introdução ao processamento de dados e técnicas de planejamento, entre outras. A partir do terceiro semestre, o aluno irá aprofundar seus conhecimentos em disciplinas específicas da área de engenharia agrícola, tais como: resistência dos materiais, fundamentos do cálculo estrutural, hidráulica geral, hidrologia, processamento e interpretação de imagens, laboratório de máquinas agrícolas, barragens e obras de terra, sistemas de irrigação e drenagem, armazenamento e conservação de produtos agrícolas, saneamento rural e formação e desenvolvimento da agricultura brasileira.

Capacitação profissional

O engenheiro agrícola é reconhecido no país e no exterior como símbolo de excelência, pela atuação no ensino, pesquisa e extensão em áreas afins das ciências agrárias. Trabalha de forma interdisciplinar e cooperativa e participa na formulação de políticas públicas, contribuindo para a produção de alimentos, usando a combinação de conhecimentos científicos e de engenharia para encontrar soluções eficientes que respeitem o uso sustentável dos recursos naturais, preocupado sempre com a questão socioeconômica. Assim, o profissional graduado deve sistematicamente buscar informações para poder se atualizar constantemente, não medindo esforços intelectuais para o desenvolvimento da comunidade nos aspectos social, cultural, científico, tecnológico e econômico.

Período: diurno em período integral
Vagas: 70 Relação candidatos/vaga: 1ª fase – 7,5 / 2ª fase – 3,3
Integralização: 10 semestres
Unidade: FEAGRI – Faculdade de Engenharia Agrícola
www.feagri.unicamp.br
secgrad@feagri.unicamp.br
Tel: (19) 3521.1045

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável